Esta tela relaciona os campos de configuração técnica do Gerente SST. Identificando os dados necessários do equipamento utilizado na medição do ruído para que seja possível uma rastreabilidade dos resultados e operações relacionadas com o equipamento. Inclusive os critérios utilizado na medição e avaliações dos resultados. O Gerente SST utilizará para realização dos cálculos normas que compõem os equipamentos de medição de nível de pressão sonora.

a) ANSI S 1.25 (1991) - Specification for personal noise dosimeters
b) ANSI S 1.4 (1983) - Specification for sound level meters
c) ANSI S1 1.40 (1984) - Specification for acoustical calibrators
d) IEC 804 (1985) - Integrating-averaging sound level metersIEC 651 (1993) - Sound level Meters
e) NIOSHI 1 e NIOSH2 - Para cálculo da atenuação de EPI.

Exemplo de preenchimento da Tela 2

tela_2c.jpg (70487 bytes)

CAMPO 1 - INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO: Instrumento utilizado para medição do nível de pressão sonorana.

CAMPO 2 - N° DE SÉRIE: Número de série do equipamento e que consta no certificado de calibração.

CAMPO 3 TIPO NORMA: Define o tipo do equipamento utilizado nas medições que pode ser do tipo 1 (maior exatidão) ou 2. Equipamentos do tipo 3, geralmente com microfone eletrodinâmico não podem ser utilizados para avaliação.

CAMPO 4 - MODELO: Modelo do equipamento utilizado.

CAMPO 5 - FABRICANTE: Fabricante do equipamento utilizado.

CAMPO 6 - NORMAS UTILIZADAS: Define as normas que o equipamento utilizado segue para realização das medições.

SUBGRUPO - CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO

Os campos NÚMERO DO CERTIFICADO (7), DATA DE EMISSÃO (8) e ORGÃO EXECUTOR (9) são retirados do certificado de calibração emitido por orgão reconhecido.

SUBGRUPO - CARACTERISTICAS DO INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO

CAMPO 10 - TIPO DE MEDIÇÃO: Define do tipo de medição que será realizada, estabelecendo automaticamente ou manual as configurações exigidas pela legislação vigente.

CAMPO 11 - CIRCUITO DE RESPOSTA: circuito de resposta utilizado nas medições com o medidor de nível de pressão sonora. Pode ser admitido com "Slow", "Fast" ou "Impulse". A primeira é geralmente utilizada para ruído ocupacional. "Fast" é utilizado para ruído ambiental relacionado ao grau de incômodo da vizinhança. O Impulsivo deve ser utilizado para medição de ruído de impácto. No caso da não existência do circuito de resposta " Impulse" no equipamento, utiliza-se, geralmente, a "Fast" com algumas considerações.

CAMPO 12 - CURVA DE PONDERAÇÃO: Estabelece a curva de ponderação (ou peso) relacionado com o tipo de medição realizada. Para ruído contínuo ou intermitente usa-se a curva "A" para ruído de Impácto, geralmente, não é aplicado a ponderação, chamada, nesse caso de linear - Llin. Contudo na auxência do "Lin" no equipamento considera-se a curca "C". A nova norma da NHO 01 considera circuito de resposta "Fast" com a curva de ponderação "C".

CAMPO 13 - DETECÇÃO: Estabelece como é realizada o processamento da medição instantânea, podendo ser um valor médio quadrático "RMS" que estabelece a energia relacionado ao ruído. E a detecção Pico que identifica a pressão máxima instantânea relacionada com o ruído existente: 1 RMS = 0,707 Pico.

CAMPO 14 - PAISES/NORMAS: O Gerenciador SST fornece os parâmetros normalizados para cálculo e projeção de dose e nível de pressão sonora em função do país ou norma. No Brasil temos os parâmetros da NR 15 e da FUNDACENTRO NHO 01. Este último é semelhante ao da ACGIH. Esse campo também permite a personalização do parâmetros de cáculo.

NOTA IMPORTANTE: após a mudança dos parâmetros O Gerenciado SST atualiza automaticamete todos os cálculos, permitindo que o usuário compare os resultados de diferentes normas.

CAMPO 15 - TEMPO CRITÉRIO: Define o tempo relacionado aos critérios de referência, normalmente 8 h. Esse campo não deve ser alterado por usuários não habilitados poís altera o critério utilizado para o cálculo e projeção da dose. A projeção em diferentes tempos é realizada em outra tela. Nesta são fixos os critérios de refência, por exemplo: 8 h a 85 dB(A) é igual a 1 (100%) de dose de exposição.

CAMPO 16 - NÍVEL LIMIAR DE INTEGRAÇÃO (NLI): Também chamado de nível limiar de detecção. Define o nível de pressão sonora mínimo que será considerado no cáculo da dose e seus variantes. Valores abaixo do NLI não contribui na composição da dose, portanto, tais valores tendem a diminuir o nível médio de pressão sonora (Leq ou TWA) relacionado a atividade.

CAMPO 17 - INCREMENTO DE DUPLICAÇÃO DE DOSE (q): Define o parâmetro de cálculo do nível de pressão sonora médio segundo as normas ISO 804 e ANSI S 1.25 (1991). Valores de q = 3 dB são relacionados com a energia equivalente de exposição, no entanto ao Leq. Valores acima de 3 como 4, 5 e 6 valorizam os períodos de exposição não ocasional, isto é, forçam um valor médio relacionado com o maior tempo de exposição. A alteração desse campo propicia a análise das diferenças entre as normas. No Campo 14 podem ser escolhidas referências padronizadas.

CAMPO 18 - CRITÉRIO DE REFERÊNCIA: Limite de tolerância relacionado ao tempo critério, por exemplo: 85 dB(A) e tempo de 8 h equivale a uma dose diária de 100%, considerando 40 horas semanais. Valores acima destes limites são insalubres segundo a legislação do país. A diferença entre os limites regionais são devidos a fatores políticos e de confiabilidade. Alguns países são mais conservativos que outros. No Campo 14 podem ser escolhidos referências padronizadas.

Dados Adicionais

A norma da Fundacentro NHO 01 especifica que os medidores integradores "de uso pessoal" (dosímetros) ou "portados pelo avaliador" devem ser ajustados para atender os seguintes parâmetros:

a) circuito de ponderação - "A";
b) circuita de resposta - "lenta - slow" ou "rápida - fast", quando especificado pelo fabricante
c) critério de referência - 85 dBA, que corresponde a Dose de 100% para uma exposição de 8 h;
d) nível limiar de detecção - 80 dBA
e) faixa de medição mínima - 80 a 115 dBA;
f) incremento de duplicação de dose - q=3;
g) indicação da ocorrência de níveis superiores a 115 dBA.

Lembramos que os critério da NR 15 e da Norma da Fundacentro NHO 01 são divergentes. O usuário poderá trocar a norma com apenas um toque de mouse, isto é, escolher o critério de cálculo; permitindo que o Gerente SST recalcule automaticamente os resultados para a norma selecionada.

O Gerente SST possui internamente algorítmicos que seguem as normas utilizadas em dosímetro e medidores de nível de pressão sonora para o cálculo de dose, Leq, TWA e análise de Eficiência de EPI. Abaixo estão algumas normas mais usadas:

Þ Para Ruído Contínuo ou Intermitente:

Ruído Contínuo ou Intermitente

NR 15

 NHO 01

LT para 8 horas

85

85

Incremento de duplicação de dose (q)

5

3

Nível limiar de detecção (NLI)

sem referência

80

Nível Médio (NM)

sem referência

equação

Valores abaixo de 80 dBA

desprezíveis para efeito de cálculo de dose

desprezíveis para efeito de cálculo de dose

Nível de exposição

sem referência

equação

Nível de exposição normalizado

sem referência

equação

Nível de Ação referente (jornada de 8 h)

(NR 9 )

80 dBA - Dose - 50%

Nível de Exposição Normalizado

82 dBA

Risco Grave e Iminente

115 dBA

115 dBA

IMPORTANTE: É possível notar que com adoção do q=3 pela FUNDACENTRO o Nível de Ação passa a ser de 82 dBA para uma jornada de 8 h.

Þ Para Ruído de Impacto:

Ruído de Impacto

NR 15

NHO 01

LT (Limite de Tolerância)

120 dBC ou 130 dB (linear)

140 dB (linear)

Relaciona número de picos máximos admissíveis em função do número de impactos

Sem referência

Tabela especifica

Nível de Ação

Sem referência

(Np - 3) dB

 

IMPORTANTE: A NHO 01 adota o critério do nível de ação para o ruído de impacto e altera o limite de tolerância em dB linear e não cita as alternativas na utilização de parâmetros com leitura em dBC e circuito de resposta fast.