Bem vindo a Isegnet
HOME MAPA DO SITE PRIVACIDADE ADICIONAR AOS FAVORITOS INOVAÇÃO
LOCALIZAR  
 
MENU PRINCIPAL
 Portal   Segurança do Trabalho   Metrologia   Qualidade Industrial   Meio Ambiente e Saúde   Qualidade de Vida  
Metrologia
Importância
Credenciamento
Cursos
Enquetes
Normas
Legislação
Artigos
Fórum
Newsletter
Links
Inovação no ISegNet
Cursos
ISO GUIA 25 x ISO 9002

INTRODUÇÃO

SÉRIE ISO 9000 é direcionada à empresas independentemente de suas atividades específicas;
expressa a capacitação organizacional das empresas em relação ao seu sistema de gestão da qualidade.

ISO GUIA 25 (Hoje a ISO/IEC ou NBR 17025) é exigida para laboratórios de calibração e ensaio; estabelece os elementos essenciais de um sistema de gestão da qualidade, em ambiente laboratorial; estabelece requisitos técnicos para a operação adequada de um laboratório de ensaios e de calibração.

O PROBLEMA SEMÂNTICO

Como uma tentativa para solucionar o problema semântico, o CASCO (ISO Council on Conformity Assessment) resolveu padronizar as seguintes definições:

- Credenciamento (accreditation)

- Certificação (certification)

- Registro (registration)

CREDENCIAMENTO E CERTIFICAÇÃO

Credenciamento
Procedimento através do qual um organismo com autoridade, dá o reconhecimento formal de que um organismo, ou uma pessoa, é competente para desempenhar tarefas específicas.”(ABNT ISO/IEC GUIA 58 :1993).

Certificação
Procedimento através do qual um organismo certificador de terceira parte fornece garantia escrita (certificado de conformidade) de que um produto, um processo ou serviço atende a requisitos específicos.

REGISTRO

Registro
Procedimento através do qual um organismo indica as características relevantes de um produto, um processo ou um serviço, ou particularmente para um organismo ou pessoa, em uma relação adequada e publicamente disponível.

Guia 25 e ISO 9002 - Principais Diferenças

> Quando aplicados a laboratórios os elementos do sistema da qualidade são quase idênticos. As diferenças
estão nos propósitos para os quais eles foram elaborados, nos requisitos técnicos e na metodologia de
avaliação.

> Atuação de acordo com diferentes sistemas por parte dos órgãos certificadores de sistemas da qualidade
(ISO Guide 48) e de credenciadores de laboratórios (ISO Guide 58).

Requisitos técnicos diferentes
- Metodologia de avaliação
- Forma pela qual é expresso o credenciamento ou a certificação
- qualificação dos avaliadores (auditores)

Requisitos Técnicos
Complementando os elementos do sistema da ISO 9002, o Guia 25 requer:

- Competência técnica por parte dos técnicos senior do laboratório;
- Demonstração da competência técnica de todos os técnicos do laboratório;
- Demonstração do cumprimento rígido da metodologia específica do ensaio;
- Participação em programas de avaliação de proficiência.

Metodologia de Avaliação

ISO 9002 - a auditoria do sistema da qualidade tem seu enfoque na avaliação da empresa em relação a uma norma específica de gestão da qualidade, sem necessariamente avaliar a adequabilidade desse sistema e da tecnologia disponível na organização.


Guia 25 - alem da avaliação dos elementos do sistema da qualidade a auditoria requer a avaliação:
>do conhecimento e da capacitação técnica de todo o pessoal envolvido;
>da adequabilidade do ensaio / calibração selecionado;
>da calibração e manutenção dos equipamentos envolvidos nos ensaios / calibração;
>das condições ambientais.

Expressão do Credenciamento e da Certificação

Os órgãos de credenciamento estimulam os laboratórios a endossar seus relatórios de ensaio / calibração em nome deste órgão de credenciamento, de tal forma que fique publicamente estabelecido que um resultado de ensaio específico foi produzido por um laboratório que demonstrou, para uma terceira parte, ser capaz de realizar este ensaio de forma imparcial.

A identificação do organismo certificador (logotipo) não deve ser usado pela organização como uma marca de certificação ou endosso de conformidade de um produto específico com qualquer especificação.

Da qualificação dos auditores:

Segundo a ISO 9002 - especialmente treinados em técnicas de auditoria com conhecimento técnico profundo de normas de sistemas da qualidade (ISO 9000 ou equivalente). Não há exigência que os auditores tenham conhecimento da tecnologia especifica da empresa em avaliação, embora seja, geralmente esperado que eles tenham alguma familiaridade com ela.

Segundo a NBR 17025 - devem ser especialistas ou mesmo possuir um conhecimento técnico maior da tecnologia empregada no laboratório auditado. Na prática existe tambem uma expectativa que os auditores sejam tambem treinados nas técnicas de gerenciamento da qualidade.

Conclusão
Usuários de laboratórios de ensaio / calibração, devem estar atentos a ambos, o potencial para realizar trabalhos com qualidade (sistema da qualidade) e a competência técnica (habilidade de alcançar resultados técnicos confiáveis). A melhor maneira de se alcançar estes dois objetivos é através dos organismos credenciadores de laboratórios, que operem eles mesmos de acordo com as melhores práticas internacionais, exigindo que os laboratórios adotem as melhores práticas e envolvendo avaliadores especialistas em ensaios específicos de interesse do usuário. A aceitação dos resultados de ensaios / calibração, nacional ou internacionalmente, deve ser baseada na aplicação do GUIA 25 (NBR 17025) de forma a garantir a confiança necessária na validade dos resultados (reconhecimento mútuo).

Ref. Rogério Dias Regazzi

APOIO
Links


© ISegNet - Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por U-Ideas