Bem vindo a Isegnet
HOME MAPA DO SITE PRIVACIDADE ADICIONAR AOS FAVORITOS
LOCALIZAR  
 
MENU PRINCIPAL
 Portal   Segurança do Trabalho   Metrologia   Qualidade Industrial   Meio Ambiente e Saúde   Qualidade de Vida  
Inicial
Institucional
Fale Conosco
Atendimento On-Line
3R Brasil Serviços Especializados
Cadeira Verde
Pequenas Empresas
CABEÇA ARTIFICIAL (na área de saúde e segurança do trabalho)
3R Brasil
Medição de Ruído
Campanhas parceiras
IsegTools
Produtos
Colunistas
Cursos
Links
Cadeira Verde
Biossegurança Ambiental

ISEGNET: AFINAL, O QUE É BIOSSEGURANÇA?

Eng. Marco A. F. da Costa: A Biossegurança, no sentido pleno da palavra, nada mais é do que a preservação da vida, através de ações técnicas e sociais. No entanto, no Brasil, o termo foi atrelado, legalmente, às ações que envolvem a manipulação do DNA, através da lei n. 8974 de 15 de janeiro de 1995. Por outro lado, a palavra biossegurança também aparece em ambientes onde a moderna biotecnologia não está presente, como, hospitais, laboratórios de saúde pública, etc., no sentido da prevenção dos riscos gerados pelos agentes químicos, físicos envolvidos em processos onde o risco biológicos se faz presente. Este lado da biossegurança, na realidade, mistura-se a engenharia de segurança, a medicina do trabalho, a saúde do trabalhador e a infecção hospitalar, e da vigilância sanitária de plantas e animais quando o risco são os organismos não geneticamente modificados.

ISEGNET: AS PLANTAS TRANSGÊNICAS SÃO SEGURAS PARA O MEIO AMBIENTE?

Eng. Marco A. F. da Costa: Até o momento, a ciência não dispõe de evidências que mostrem a segurança das plantas transgênicas. Um dos instrumentos utilizados para esta verificação, a Equivalência Substancial, não reflete o rigor científico necessário, para que a sociedade possa utilizá-lo como parâmetro norteador, já que baseia-se apenas na comparação das características da planta original, ou seja, natural, com a planta modificada, transgênica. Não havendo diferenças significativas entre essas características, esta última pode ser considerada segura. Essas incertezas, podem, a médio e longo prazos, nos levar para situações críticas ambientais, no que se refere a solos, águas e ar, se nada de novo for produzido, a nível científico, ético e político.

ISEGNET: E O QUE DEVE SER FEITO ENTÃO?

Eng. Marco A. F. da Costa: Pesquisas devem ser orientadas no sentido de se buscar indicadores para a correta avaliação dessas plantas. Não adianta utilizarmos métodos convencionais, utilizados normalmente, já que os efeitos desses novos seres da natureza, podem ser totalmente desconhecidos pelos humanos. Portanto, torna-se necessário, ao invés dessa caótica onda de debates sobre transgênicos, que na realidade, só está tumultuando a sociedade, já que por um lado, especificamente as ONGs, parte do governo e parte da comunidade científica, consideram esta tecnologia um desastre para a natureza, e por outro lado, as indústrias, outra parte do governo, inclusive a CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), e também , alguns cientistas, a consideram segura, estabelecermos um acordo de cooperação entre as partes envolvidas para a pesquisa desses novos parâmetros reguladores, e acabarmos com essa briga sem fim, que não está levando a nada.

Entre em contato com o nosso convidado:
Eng. Marco A. F. da Costa, Msc
Coordenador de Projetos e Cursos
na Área da Qualidade e da Biossegurança.
Fundação Oswaldo Cruz – Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio
http://sites.uol.com.br/biosseguranca


BIOSSEGURANÇA: Ambientes Hospitalares e Odontológicos

É o novo lançamento do Eng. Marco A .F. Costa (FIOCRUZ), em conjunto com Maria F. B. Costa (FIOCRUZ) e Norma S.F. Melo (UFPR). O livro aborda questões relativas à biossegurança nesses ambientes, de forma clara e objetiva e com uma base conceitual adequada à sua compreensão. Já disponível em todas as livrarias ou através do tel: (0xx11) 574-1200.




Voltar
3R BRASIL
Exemplos
Isegmetro
Isegtools
TRIA
© ISegNet - Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido por U-Ideas